quarta-feira, 23 de abril de 2014

Trabalhadores da Fundação CASA deliberam pelo retorno ao trabalho, mas continuam em estado de greve

assembleia 23 04 greve




Hoje, 23/04, no TRT/SP 2º Região aconteceu audiência de julgamento do dissídio coletivo de GREVE dos trabalhadores, no qual em nova tentativa, o Juiz Desembargador do TRT propôs o retorno as negociações, no entanto a Fundação CASA rejeitou a proposta.
O Juiz Desembargador após as considerações acatou o pronunciamento do MPT, que ressaltou a gravidade na falta de segurança e integridade física dos trabalhadores.
Em assembleia geral da categoria trabalhadores da Fundação CASA decretam o regresso ao trabalho, mas permanecem em estado de greve enquanto perdurarem as negociações no TRT.
E amanhã, 24/04, às 9hs em nova audiência os Desembargadores esperam que a Fundação saia da radicalidade e retorne as negociações para o núcleo de negociações coletivas. “É preciso ter vontade política para resolver a questão” afirma o Desembargador Relator.

http://www.sitraemfa.org.br/component/content/article/43-materia/478-trabalhadores-da-fundacao-casa-deliberam-pelo-retorno-ao-trabalho-mas-continuam-em-estado-de-greve.html

Greve na Fundação Casa: julgamento é suspenso, e agendada nova tentativa de conciliação para esta quinta-feira

O julgamento que decidiria pela abusividade ou não da greve da Fundação Casa, bem como os outros pedidos dos trabalhadores foram interrompidos na tarde desta quarta-feira (23). A recomendação da Seção de Dissídios Coletivos (SDC) do TRT-2 foi para que os trabalhadores e a fundação insistissem nas negociações, uma vez que o julgamento não solucionaria o conflito.



Conduzido pelo presidente da SDC, desembargador Rafael Pugliese, o encontro entre as partes teve início às 14h, encerrando-se às 15h, no Ed. Sede do TRT-2 (rua da Consolação, 1272, São Paulo-SP). 

20140423 destaque interno
Após amplos debates, os julgadores recomendaram a continuidade das discussões junto ao Núcleo de Conflitos Coletivos (NCC), órgão que trabalha para que os interessados cheguem juntos a uma solução em caso de greve ou ameaça de paralisação. Para os magistrados, a questão sobre saúde e segurança dos agentes, enfatizada como queixa principal apenas no último encontro entre as partes, deve ter todas as possibilidades de acordo esgotadas, o que não seria possível no julgamento. “O núcleo garante uma solução eleita pelas partes, mais valiosa, mais próxima à Justiça do que uma sentença judicial imposta às partes”, explicou Pugliese.

Dessa forma, o caso foi remetido ao Núcleo de Conflitos Coletivos, que fará nova tentativa de composição entre a Fundação Casa e os trabalhadores, a partir das 9h desta quinta-feira (24).  Os representantes dos trabalhadores aceitaram defender a proposta do Tribunal em assembleia, que será realizada ainda nesta quarta (23), mas a Fundação Casa rejeitou. Diante da divergência e da possibilidade de acordo, o TRT-2 confirmou o envio do processo ao núcleo.

Caso não haja acordo perante o núcleo, será retomado o julgamento da greve pela SDC.

Texto: Assessoria de Imprensa - Secom/TRT-2

http://www.trt2.jus.br/indice-noticias-em-destaque/18493-greve-na-fundacao-casa-julgamento-e-suspenso-e-agendada-nova-tentativa-de-conciliacao-para-proxima-quinta-feira

Funcionários da Fundação CASA decidem em assembléia voltar ao Trabalho em estado de greve

Todos os Funcionários voltar ao trabalho a partir das 00:00 de hoje

TRT julga greve legal.

"Não haverá  descontos no salário e nem punições" (segundo representante da CUT)

A Assembleia decidiu por unanimidade que fosse instituído o estado de greve por 20 dias, as negociações irão continuar e as 53 cláusulas serão discutidas.

O TRT juntamente com o MPT vai acompanhar as negociações dos 53 itens da pauta .

essas informações foram passadas aos funcionários em assembléia

   

Todo apoio à greve dos funcionários da Fundação Casa

Giannazi apoia integralmente o movimento organizado, que reivindica plano de carreira, reajuste salarial de 53%, melhores condições de trabalho e recomposição do quadro funcional com mais concursos públicos, dentre outros pleitos.

fundação CASA mais uma vez solta nota sobre a PL 62/2013 (PRIVATIZAÇÃO)



Comunicado sobre o PL 62/2013


Comunicado sobre o PL 62/2013


Lei permitirá somente a substituição dos convênios com 
ONGs por contratos de gestão 

COMUNICADO_01A presidente da Fundação CASA, Berenice Giannella, expediu novamente nesta terça-feira (23 de abril) um comunicado a todos os servidores sobre o Projeto de Lei 62/2013, que apenas alterará a forma jurídica dos termos mantidos com as ONGs de gestão compartilhada na Fundação CASA. O comunicado já foi publicado anteriormente em fevereiro deste ano. Confira o texto na integra abaixo.

 São Paulo, 23 de abril de 2014

Caros servidores,

Diante de inverdades que estão sendo novamente divulgadas e difundidas nas redes sociais e entre os servidores, venho reiterar o Comunicado expedido em fevereiro deste ano, nos termos abaixo:

  1. Não há nenhuma proposta em curso para privatizar ou terceirizar os serviços da Fundação CASA;
  2. Não há nenhuma proposta para demissão de servidores. Pelo contrário, aprovados em concurso estão sendo chamados para anuir vaga;
  3. O projeto de lei complementar 62/2013 encaminhado pelo Senhor Governador do Estado à Assembleia Legislativa em data de 19 de dezembro de 2013 visa tão somente alterar a forma jurídica dos termos mantidos hoje com as ONGs de gestão compartilhada na Fundação CASA. O projeto, tanto que aprovado, permitirá que a Fundação substitua os atuais convênios por contratos de gestão com estas mesmas entidades (que devem se qualificar como Organizações Sociais - OS), instrumento jurídico considerado mais adequado que o convênio. Isto, aliás, consta da Exposição de Motivos que acompanha o encaminhamento do projeto de lei.
  4. Informo, finalmente, que dos 149 centros de atendimento em funcionamento no Estado, 23 hoje possuem gestão compartilhada.

Obrigada pela atenção.

Berenice Maria Giannella
Presidente


                    fonte:
Home - Fundação CASA 

ATENÇÃO!! SERVIDORES DA FUNDAÇÃO CASA: LEVAR CRACHÁ OU HOLERITE PARA ASSEMBLÉIA

DIA 23/04 ASSEMBLEIA GERAL DA FUNDAÇÃO CASA

assembleia geral 23 04


No dia 23/04, quarta-feira, haverá audiência de julgamento do dissídio coletivo de GREVE, na qual o Desembargador julgará a legalidade do movimento paredista. 
 Após o termino da audiência os trabalhadores da FUNDAÇÃO CASA, dia 23/04/14, em assembléia discutirão a devolutiva do TRT. Local: Sindicato dos Quimicos, rua Tamandaré 348 - Liberdade, às 16hs. 

 E para provar que nesta assembleia compareçam apenas funcionários da Fundação CASA solicitamos a todos que levem seus holerites ou cracha, com rg. Trabalhadores devem ir direto para o local da assembleia, assim como as vans e ônibus do interior.

http://www.sitraemfa.org.br/component/content/article/43-materia/477-dia-2304-assembleia-geral-da-fundacao-casa-.html

terça-feira, 22 de abril de 2014

Major Olímpio - Governo quer destruir os Servidores Públicos de SP




Deputado Major Olímpio fala sobre a humilhação que os servidores públicos sofrem do governador de São Paulo.

Amanhã acontecerá a reunião que deve definir greve na Fundação Casa

O Sitraemfa (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e a Família do Estado de São Paulo) marcou para quarta-feira a assembleia que definirá os rumos da greve dos trabalhadores da Fundação Casa, que completa nesta terça-feira (22) 12 dias. 

O encontro ocorrerá logo após o término do julgamento da paralisação no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), quando a Justiça analisará a legalidade do movimento e dará parecer sobre as causas sociais das reivindicações. 

Como não houve acordo entre a instituição e os servidores, o TRT tentou, nos últimos dias, intermediar as negociações. Entretanto, os trabalhadores não aceitaram as propostas apresentadas pelo governo estadual  e pararam parte das atividades em  148 unidades de ressocialização instaladas no estado de São Paulo.
(VEJA MAIS ...)


   DIA 23/04 ASSEMBLEIA GERAL DA FUNDAÇÃO CASA

ASSEM 2304


Após o termino da audiência os trabalhadores da FUNDAÇÃO CASA, dia 23/04/14, em assembléia discutirão a devolutiva do TRT.
Local: Sindicato dos Quimicos, rua Tamandaré 348 - Liberdade, às 16hs.
Trabalhadores devem ir direto para o local da assembleia, assim como as vans e ônibus do interior.

Parlamentares apoiam servidores em greve

Tribunal Regional do Trabalho julgará legalidade ou não da greve dos trabalhadores da Fundação Casa, nesta quarta-feira, 23/4

Flash da Redação Keiko Bailone Fotos: José Antonio Teixeira



Deputados das bancadas oposicionistas " PSOL, PT, PCdoB e PDT " participaram nesta terça-feira, 22/4, de audiência pública para ouvir pauta de reivindicações de trabalhadores da Fundação Casa, em greve há doze dias. Encabeça a lista de reivindicações o aumento de 23,67% nos salários, a melhoria das condições de trabalho e mais segurança nas unidades da Fundação.



Download
Helena Machado, Aldo Damião Antonio, Carlos Giannazi, 

Antonio Mentor, José Venâncio de Souza e Antonio Gilberto da Silva




FOTO EXTRAÍDA FACEBOOK 







Carlos Giannazi, 
organizador da audiência






           
Audiência em apoio a trabalhadores em greve
                   Aldo Damião Antonio



Público presente nesta terça-feira, 22/4

O deputado Carlos Giannazi (PSOL), responsável pela organização desse evento, explicou que a audiência se realizava em apoio à luta dos grevistas contra a situação "dramática de arrocho salarial, adoecimento, assédio moral e coação das diretorias autoritárias das unidades da Fundação Casa".

Aldo Damião Antonio, presidente do Sitraemfa " Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo " frisou que os servidores da Fundação Casa tinham "o quinto pior salário do país". Apontou esse como um dos motivos para a falta de segurança nas unidades. "Não há funcionários suficientes e isso facilita as rebeliões dos jovens".

O sindicalista criticou a contraproposta de reajuste apresentada pelo governo de 3,97%, justificando que a reivindicação do aumento de 23,67% foi resultado de estudos da Dieese-Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos.

A dirigente sindical Maria Helena Machado destacou a importância da participação de mulheres nessa greve. José Venâncio de Souza, também diretor do Sitraemfa, afirmou a necessidade de os grevistas sensibilizarem parlamentares da bancada governista, pois, em audiências passadas já haviam feito as mesmas denúncias.

Outro dirigente a se manifestar, Antonio Gilberto da Silva, comemorou o fato de a atual greve ter a adesão de "70% da categoria, algo que nunca aconteceu". Rememorou conquistas de mobilizações passadas, como a readmissão de 1.751 funcionários em greve, e apelou aos presentes para que ficassem atentos ao Projeto de Lei Complementar 62/2013, que trata da privatização da Fundação Casa.

Críticas de parlamentares

A deputada Leci Brandão, líder do PCdoB, foi a primeira parlamentar a se manifestar " estavam presentes também Antonio Mentor e José Zico Prado (ambos do PT); e Major Olímpio (líder do PDT). Afirmou que as autoridades do governo têm de ter sensibilidade para entender o trabalho dos servidores da Fundação Casa, "que precisam de dignidade e estrutura para trabalhar, pois cuidam de seres humanos".

José Zico Prado lembrou que foi metalúrgico durante 20 anos e que todas as conquistas dos trabalhadores como cesta básica, vale refeição, férias e tantos outros direitos foram resultado de lutas e mobilizações. Conclamou, portanto, os trabalhadores da fundação a bater à porta dos 94 deputados. "A Assembleia tem condições de pressionar o governo, fazer com que as reivindicações de vocês sejam ouvidas".

Major Olímpio também se referiu à "insensibilidade do governo" a quem acusou de "esconder rebeliões e agressões" ocorridas no interior. Ao se referir à greve dos agentes penitenciários, ocorrida no início deste ano, lembrou que a conquista da categoria foi insignificante, mas "o espírito de luta foi grandioso".

Antonio Mentor parabenizou a participação das mulheres na greve da Fundação Casa. Lembrou que, já em 1991, encabeçou pedido para realização de uma CPI para investigar a relação de desigualdade e desequilíbrio entre os quase 7 mil funcionários nomeados em comissão e os que trabalhavam no pátio ou junto aos jovens infratores. Essa CPI não avançou, contou Mentor, que criticou duramente a atual presidente da Fundação Casa, Berenice Giannella. "Em audiência na Assembleia, no ano passado, ela não conseguiu responder a nenhuma pergunta sobre segurança nas unidades da Fundação.

A Fundação Casa 

A Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) é a antiga Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (Febem), entidade responsável pelas medidas socioeducativas aplicadas a adolescentes infratores entre 12 e 21 anos. O órgão é vinculado à Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania.

Possui 12 mil funcionários espalhados em 148 unidades. A média salarial varia de R$ 1.000 a R$ 5.000 " sem contar os cargos em comissão.


 
 
http://www.al.sp.gov.br/noticia/?id=356490

Funcionários em greve da Fundação Casa realizam manifestação em Jacareí

Cerca de 30 trabalhadores participam do ato nesta terça (22) 



Os funcionários da Fundação Casa, realizaram às 10h desta terça-feira (22), uma manifestação no Parque da Cidade em Jacareí.
Com faixas nas mãos e carro de som, cerca de 30 funcionários seguiram até a Divisão Regional do Vale do Paraíba, na rua Pensilvânia.
Em greve desde o dia 9 de abril , os trabalhadores reivindicam o aumento do salário e melhorias nas condições de trabalho.
" São muitas reivindicações que fazemos. O nosso problema não é apenas econômico, é também social", relatou Assis Dias, diretor do Sintraemfa (Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e à Família no Estado de São Paulo).
Cerca de 30 % dos 400 funcionários da Fundação Casa na RMVale, que estão em greve , aguardam o julgamento no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), na Capital, que acontecerá nesta quarta-feira (23), por volta das 13h.
De acordo com o diretor do Sintraemfa, nesta quarta (23) terá uma assembleia para decidir se a categoria continuará em greve.

http://www.ovale.com.br/funcionarios-em-greve-da-fundac-o-casa-realizam-manifestac-o-em-jacarei-1.523523

Pais De Internos Denunciam Insegurança Na Fundação Casa Em Ribeirão Preto São Paulo

Alckmin culpa greve de agentes por fuga da Fundação Casa em Ribeirão

Desde o início da paralisação, 40 menores escaparam do complexo.
Agentes negam que movimento esteja prejudicando trabalho na instituição.

Do G1 Ribeirão e Franca

Em visita a Franca (SP) na tarde desta segunda-feira (21), o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSBD), declarou que a fuga dos 32 adolescentes de uma das unidades do complexo da Fundação Casa de Ribeirão Preto (SP) foi devido à falta de funcionários em razão da greve dos agentes, que já dura 11 dias.
Segundo Alckmin, há uma determinação da Justiça do Trabalho que exige que a instituição funcione com no mínimo 70% do quadro de trabalhadores, mesmo que haja a paralisação. “Infelizmente essa medida não é cumprida, na hora da fuga era para ter 12 funcionários trabalhando no local, mas só tinham quatro”, afirma o tucano.

Funcionários que estão em greve e não quiseram se identificar contestaram a declaração do governador. Segundo eles, cerca de 500 pessoas trabalham no complexo da Fundação Casa de Ribeirão Preto, sendo que só na unidade onde houve a fuga são 100 trabalhadores. “Isso que ele [Alckmin] alega não tem fundamento. Essa determinação é válida para todos os funcionários, não só os servidores, conta pra tudo, desde os agentes aos coordenadores e diretores da instituição. De 500, somos 60 trabalhadores em greve, é só fazer as contas e ver que tem 70% dos funcionários no complexo, seguindo a determinação”, diz um dos agentes.
Os agentes negam ainda a afirmação de Alckmin de que no momento da fuga apenas quatro funcionários trabalhavam no local. “Ao todo eram sete pessoas trabalhando na unidade no momento da fuga, que foi por volta das 3h. Até às 22h eram 15.”
Alckmin culpa greve dos agentes por fuga da Fundação Casa em Ribeirão Preto, SP (Foto: Valdinei Malagutti/EPTV) 
Alckmin culpa greve dos agentes por fuga da
Fundação Casa (Foto: Valdinei Malagutti/EPTV)

De acordo com o juiz da Vara da Infância e da Juventude de Ribeirão Preto, Paulo César Gentile, problemas como a fuga podem acontecer durante a greve. Mas para ele, essa não foi a principal causa. “Eu prefiro não acreditar que a greve foi a grande responsável por esses adolescentes terem escapado. A superlotação é um dos motivos, são 9,7 mil menores infratores internados nos mais de 150 complexos da Fundação Casa no Estado. E isso vem crescendo com a tendência de aumentar o tempo de internação desses jovens. Isso causa insatisfação e a fuga é o anseio radical pela liberdade”, afirma o juiz.
O promotor da Vara da Infância e da Juventude, Luis Henrique Paccagnella, também acredita que essa superlotação pode contribuir para que aconteçam fugas e rebeliões. Ainda segundo Paccagnella, isso leva a uma falta de segurança na instituição. Atualmente, a unidade de onde os menores escaparam abriga 140 menores, sendo que a capacidade é para 110. "A Fundação Casa diz que o problema é negligência dos funcionários, mas na realidade, trata-se de uma gestão ruim. A instituição não admite os problemas e o resultado tem sido esse. Não há a possibilidade de dialogar”, diz.
Uma nova reunião para discutir os rumos da greve está prevista para acontecer na quarta-feira (23) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) de São Paulo.
Fuga
Duas fugas foram registradas na Fundação Casa de Ribeirão Preto desde o início da greve estadual, há 11 dias. Na noite de domingo (13), oito menores fugiram enquanto praticavam atividades esportivas de rotina. Três deles foram recapturados no dia seguinte.
Na madrugada de domingo (20), 32 adolescentes fugiram após um dos agentes ter sido rendido por um grupo armado com uma faca. Apenas um dos internos voltou à unidade depois que a mãe resolveu levá-lo de volta à fundação.
Atualmente, o complexo em Ribeirão Preto mantém quatro centros socioeducativos, sendo três de internação e um de semiliberdade, com capacidade total para 390 adolescentes.
De acordo com a assessoria de imprensa da Fundação Casa, o Poder Judiciário e os familiares dos adolescentes que fugiram foram avisados. Segundo a instituição, a Polícia Militar continua fazendo buscas na região à procura dos menores.
Agentes da Fundação Casa de Ribeirão Preto estão em greve há 11 dias (Foto: Reprodução/EPTV)Agentes da Fundação Casa de Ribeirão Preto estão em greve há 11 dias (Foto: Reprodução/EPTV)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Advogado do SITRAEMFA fala a categoria da fundação CASA

                                            Dr. Carlos Viola fala à catégoria 

veja o video:

'Unidade é insegura', diz promotor sobre a Fundação Casa em Ribeirão

Na madrugada de domingo, 32 menores infratores fugiram da instituição.Segundo Paccagnella, problemas acontecem por má administração.

Michel Montefeltro

Do G1 Ribeirão e Franca
Menores rendem agente durante a madrugada e 32 fogem da Fundação Casa em Ribeirão Preto (Foto: Antônio Luiz/EPTV)
Menores rendem agente durante a madrugada e 32 fogem da Fundação Casa em Ribeirão Preto (Foto: Antônio Luiz/EPTV)


O promotor da Vara da Infância e da Juventude de Ribeirão Preto (SP), Luis Henrique Paccagnella, afirmou na manhã desta segunda-feira (21) que o complexo onde fica a Fundação Casa na cidade é “totalmente inseguro”. A declaração acontece após a fuga de 32 menores infratores da instituição na madrugada deste domingo (20).
Essa é a segunda fuga na unidade em Ribeirão Preto, desde que os funcionários da instituição iniciaram uma greve estadual, há 11 dias. Na noite de domingo (13), oito menores fugiram enquanto praticavam atividades esportivas de rotina. Três deles foram recapturados no dia seguinte.

Promotor quer que unidades da Fundação Casa abriguem até 56 menores infratores (Foto: Carlos Trinca/EPTV)
Promotor quer reduzir o tamanho do complexo
                                                                        para abrigar no máximo 40 adolescentes por
                                                                             unidade (Foto: Carlos Trinca/EPTV).

Em relação à segurança do complexo, o promotor afirma que a superpopulação na instituição contribui para que rebeliões e fugas aconteçam – atualmente, a unidade abriga 140 menores e tem capacidade para 110. “A Fundação Casa diz que o problema é negligência dos funcionários, mas na realidade, trata-se de uma gestão ruim. A instituição não admite os problemas e o resultado tem sido esse. Não há a possibilidade de dialogar”, afirma o promotor.
Sobre a greve, Paccagnella diz que o Estado tem dinheiro para contratação emergencial de funcionários e acredita que a paralisação não ajuda, mas que não é a responsável por problemas, como a fuga que aconteceu no fim de semana. “Essas coisas acontecem mais pela coordenação da instituição não saber lidar com esses casos.”
Ainda segundo o promotor, a Vara da Infância e Juventude move várias ações na Justiça para tentar resolver os problemas da Fundação Casa. “Estamos tentando reduzir o tamanho do complexo, que hoje abriga cerca de 390 menores infratores. Com a ampliação, esse número aumentará para 450 adolescentes detidos. Temos uma ação judicial para impedir isso”, diz. Com essa ação , as unidades não poderiam abrigar mais do que 40 menores.

A fuga
A Fundação Casa abriu sindicância para investigar a fuga dos 32 adolescentes no domingo de uma das unidades do complexo de Ribeirão Preto. Atualmente, o complexo da Fundação Casa mantém quatro centros socioeducativos na cidade, sendo três de internação e um de semiliberdade, com capacidade total para 390 adolescentes. Todos os prédios estão situados em um mesmo complexo, às margens da Rodovia Geovana Aparecida Deliberto.
Segundo um funcionário que não quis se identificar, cinco pessoas trabalhavam no local, quando, por volta de 3h, um dos menores infratores pediu para ir ao banheiro. No momento em que o agente abria a cela, os adolescentes o renderam com uma faca e o agrediram com socos. O servidor foi amarrado e trancado no banheiro. Em seguida, eles pegaram as chaves e abriram todas as portas, liberando os 140 detidos do centro.
Os adolescentes fugiram pelo portão principal, em direção à rodovia. No final da tarde de domingo, a mãe de um dos fugitivos compareceu à unidade acompanhada de um advogado, para entregar o filho, que havia retornado à casa da família após a fuga. O jovem foi identificado e apreendido.
De acordo com a assessoria de imprensa da Fundação Casa, os outros 31 menores infratores continuam foragidos. A assessoria informou ainda que o Poder Judiciário e os familiares dos adolescentes que fugiram foram avisados. Segundo a instituição, a Polícia Militar continua fazendo buscas na região à procura dos menores.

DIA 23/04 ASSEMBLEIA GERAL DA FUNDAÇÃO CASA

ASSEM 2304 

No dia 23/04, quarta-feira, haverá audiência de julgamento do dissídio coletivo de GREVE, na qual o Desembargador julgará a legalidade do movimento paredista. 
Após o termino da audiência os trabalhadores da FUNDAÇÃO CASA em assembléia discutirão a devolutiva do TRT.
A ASSEMBLÉIA SERÁ REALIZADA NA FRENTE DO TRT, LOGO APÓS A DECISÃO DOS JUIZES, NA AV. DA CONSOLAÇÃO. INÍCIO DO JULGAMENTO 13:30HS.

http://www.sitraemfa.org.br/component/content/article/43-materia/477-dia-2304-assembleia-geral-da-fundacao-casa-.html

domingo, 20 de abril de 2014

(Editorial) A greve: Servidores da Fundação Casa e o dia “D” no TRT2

por Ronaldo Nóbrega (CEO-Editor Justiça em Foco)

Um dia decisivo para o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) será a próxima quarta-feira (23/4). Onde o TRT-2 volta a ser protagonista de sua própria decisão. 

A discussão diz respeito a uma decisão do próprio TRT da 2ª Região em 2004, mantida e respaldada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e  Supremo Tribunal Federal (STF), que continua em vigor, ou seja, dissídio de greve - Processo: RXOF e RODC - 20231/2004-000-02-00 com sua publicação no DJ em 30/09/2005.

Sem uma resolução, os trabalhadores dos centros socioeducativos da Fundação Casa, antiga Febem, de todo o Estado de São Paulo iniciaram uma greve em 10 de abril. Eles reivindicam piso salarial, reajuste real de 53,63%, reposição de perdas, isonomia do Plano de Cargos e Salários e, principalmente, aumento da segurança nos locais de trabalho.

Daí como poderá o TRT2 considerar a greve abusiva dos servidores da Fundação Casa/SP, sem os elementos de convicção que venham provar que a Fundação Casa tem possibilitado as condições de segurança necessárias para que seja cumprida a liminar de 70% concedida a favor da Fundação.

A falta de segurança nas unidades da Fundação Casa trazida pelos trabalhadores a mesa de conciliação do TRT, é algo que não pode ser jogado na lata do lixo, ou simplesmente ignorar os princípios sociais do trabalho elencados na CF/88.

Neste caso da Fundação Casa é preciso que a Justiça do Trabalho Paulista, se livre de ser acusada, amanhã, por ambas as partes, que decidiu sem apontar elementos de fato que indicassem condições de segurança aos trabalhadores dos centros socioeducativos da Fundação Casa.  Aliás, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a convite dos interessados, acredito que o ministro não se recusaria a inspecionar a Fundação Casa da capital paulista, ou enviar um representante do CNJ.

Na segunda-feira (14/4), os servidores participaram de uma audiência de conciliação, na sede do Tribunal, na tentativa de um acordo para por fim à greve. A reunião foi intermediada pelo desembargador Francisco Ferreira Jorge Neto, com a presença da presidente da Fundação Casa, Dra. Berenice Giannella e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo (Sitraemfa) - Sr. Aldo Damião, ocasião apresentada proposta pelo desembargador para que os servidores suspendessem a greve, remetendo as negociações para a comissão de mediação do Tribunal, e por sua vez a fundação se comprometia a não descontar os dias parados e não promover retaliação.

Diante deste panorama,  uma assembleia geral resolveu eleger uma nova comissão de negociação junto ao TRT e Fundação Casa, onde foram escolhidos 5 novos nomes entre os escolhidos o ex-presidente do Sitraemfa, Gilberto Silva.

Fiquemos nos fatos – e nessa greve dos servidores da Fundação Casa/SP, da qual saem tantas lições. No caso, aprendemos que é preciso criar mecanismos de fiscalização mais eficientes em defesa da classe trabalhadora, para fortalecer a Justiça do Trabalho. Caso contrário, aceitamos viver em um mundo de decisões “Fictio Iuris”.

Editorial - 20/04/2014.

fonte:


Menores rendem agente e 32 fogem da Fundação Casa em Ribeirão Preto

É a segunda fuga na unidade em uma semana: 36 ainda estão foragidos.
Instituição abriu sindicância para o caso, mas apuração ocorrerá em sigilo.

A Fundação Casa abriu sindicância para investigar a fuga de 32 menores infratores de uma unidade do complexo em Ribeirão Preto (SP). O caso aconteceu na madrugada deste domingo (20), no momento em que um agente abria uma das celas para um dos adolescentes ir ao banheiro. A instituição não informou quantos funcionários trabalhavam no local no momento da ação.  

Um dos adolescentes foi recapturado.

Complexo da Fundação Casa em Ribeirão Preto tem três centros de internação e um de semiliberdade (Foto: Carlos Trinca/EPTV)Essa é a segunda fuga na unidade em Ribeirão Preto, desde que os funcionários da instituição iniciaram uma greve estadual, há dez dias. Na noite do último domingo (13), oito menores fugiram enquanto praticavam atividades esportivas de rotina. Três deles foram recapturados no dia seguinte.
Atualmente, a Fundação Casa mantém quatro centros socioeducativos na cidade, sendo três de internação e um de semiliberdade, com capacidade total para 390 adolescentes. Todos os prédios estão situados em um mesmo complexo, às margens da Rodovia Geovana Aparecida Deliberto                                                    


A fuga
Um funcionário que não quis se identificar contou que cinco pessoas trabalhavam na unidade, quando, por volta de 3h, um dos adolescentes pediu para ir ao banheiro. No momento em que o agente abria a cela, os menores o renderam com uma faca e o agrediram com socos. O servidor foi amarrado e trancado no banheiro. Em seguida, o grupo pegou as chaves e abriu todas as portas, liberando os 140 menores do centro.
“Eles renderam os vigias e levaram todos para a lavanderia, onde foram amarrados com lençóis. Uma guarda que fica em frente ao portão que dá acesso à rua também foi rendida e trancada no banheiro”, contou o agente. Os adolescentes fugiram pelo portão principal, em direção à rodovia e não foram localizados.
Procurada pelo G1, a Polícia Militar não informou se foi chamada ao local após a fuga e se foram realizadas buscas ao redor da Fundação Casa.

Recapturado
No final da tarde de domingo, a mãe de um dos fugitivos compareceu à unidade acompanhada de um advogado, para entregar o filho, que havia retornado à casa da família após a fuga. O jovem foi identificado e apreendido.
A assessoria da Fundação Casa informou que a Corregedoria abriu uma sindicância para apurar a fuga dos adolescentes, mas a investigação ocorrerá em sigilo.

Segunda ação
Há uma semana, oito menores infratores fugiram enquanto praticavam atividades esportivas de rotina: o grupo estourou o alambrado da quadra poliesportiva, acessou o pátio da unidade e pulou o muro do local, usando lençóis como corda. Três adolescentes foram recapturados pela Polícia Militar menos de um dia depois.

Apesar de a Corregedoria da Fundação Casa ter negado que as fugas tenham relação com a paralisação dos funcionários, o Juiz da Infância e Juventude de Ribeirão Preto, Paulo Céar Gentile, afirmou que a presença de poucos funcionários facilitou a ação dos menores.
Já o promotor da Infância e Juventude, Luis Henrique Paccagnella, disse que as fugas foram causadas por negligência da administração. Em nota, a Corregedoria do centro socioeducativo voltou a negar as acusações do juiz e do promotor.

http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2014/04/menores-rendem-agente-e-32-fogem-da-fundacao-casa-em-ribeirao-sp.html

sábado, 19 de abril de 2014

Colchões são queimados em rebelião na Fundação Casa de Araraquara, SP

Cerca de 20 adolescentes ocuparam telhado na manhã deste sábado (19).
Corpo de Bombeiros foi chamado para conter as chamas e ninguém se feriu.

Menores da Fundação Casa de Araraquara se rebelaram na tarde deste sábado (Foto: Gabriela Martins/Tribuna Impressa)
Menores da Fundação Casa se rebelaram na tarde deste sábado (Foto: Gabriela Martins/Tribuna Impressa)
Cerca de 20 menores internos da Fundação Casa de Araraquara (SP) se rebelaram no final da manhã deste sábado (19) e atearam fogo em colchões na ala do semiprovisório. O motivo do motim não foi divulgado. A assessoria de imprensa da fundação não foi localizada para comentar o assunto. Parte dos funcionários está em greve há nove dias.

De acordo com a Polícia Militar, por volta de 12h, os adolescentes ocuparam o telhado do local e o grupo de contenção precisou entrar na instituição.

O Corpo de Bombeiros foi chamado para conter as chamas e os agentes precisaram ser retirados da unidade por conta da fumaça. Apesar do fogo, ninguém se feriu. A situação já foi normalizada.

Ainda segundo a PM, os jovens aproveitaram o número reduzido de funcionários, em razão da greve, para organizar a ação. As reivindicações dos menores não foi divulgada.  A assessoria de imprensa da Fundação Casa foi procurada pelo G1, mas não foi encontrada. A unidade tem capacidade para atender 88 adolescentes, sendo 16 em internação provisória e 72 em internação.

Greve
Funcionários das unidades da Fundação Casa de Araraquara, São Carlos e Rio Claro (SP) aderiram à greve da categoria no dia 10 de abril. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança, ao Adolescente e a Família (Sitraemfa), as principais reivindicações são reajuste real de 53,63% e segurança nos locais de trabalho. Além disso, os trabalhadores também reivindicam reposição de perdas, piso salarial e isonomia do Plano de Cargos e Salários.
A assessoria de imprensa da Fundação Casa informou, em nota divulgada no início da paralisação, que neste ano propôs reajuste salarial de 3,97% e reposicionamento por ajuste de curva de 2,20%, aumento do vale-refeição para R$ 14 (totalizando R$ 350 por mês), equiparação dos agentes educacionais com analistas técnicos e conversas permanentes sobre as questões de segurança nas unidades.


http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2014/04/colchoes-sao-queimados-em-rebeliao-na-fundacao-casa-de-araraquara-sp.html

NÃO SEJA UM MILITONTO!

texto extraido de uma postagem do facebook postado por : Marcia Regina e Dirce Nunes
achei oportuno para o momento!
procurei o significado da palavra militonto

Militante cego, pessoa totalmente ofuscada pela figura do líder.
O militonto não consegue enxergar um palmo à sua frente sem perguntar a seu superior ou consultar o manual.
Militante fanático, geralmente de Esquerda, que não admitem questionar seus dogmas nem sequer confrontar suas crenças diante da realidade concreta.

Os militontos não admitem sequer questionar o regime dos irmãos Castro de Cuba. Eles insistem em culpar unicamente o bloqueio estadunidense pela miséria da ilha.
http://www.dicionarioinformal.com.br/militonto/

Mantenha vivo o senso de justiça;

Verifique periodicamente se você é mesmo de esquerda. Adote o critério de Norberto Bobbio: a direita considera a desigualdade social tão natural quanto à diferença entre o dia e a noite. A esquerda encara-a como uma aberração a ser erradicada. 

Cuidado: você pode estar contaminado pelo vírus social-democrata, cujos principais sintomas são usar métodos de direita para obter conquistas de esquerda e, em caso de conflito, desagradar aos pequenos para não ficar mal com os grandes.

A cabeça pensa onde os pés pisam

Não dá para ser de esquerda sem "sujar" os sapatos lá onde o povo vive, luta, sofre, alegra-se e celebra suas crenças e vitórias. Teoria sem prática é fazer o jogo da direita.
Saiba a diferença entre MILITANTE e "MILITONTO".

"MILITONTO" é aquele que fica sob a proteção da sombra hierárquica, na roda da chefia é simpático, sorridente e acrescenta comentários maldosos sobre os que estão com o pescoço a prêmio lutando pelo interesse coletivo, quando oportuno, da uma escapadinha e suja o sapato por alguns instantes na companhia daqueles que estão na luta por melhores salários ( para todos) se faz de amiguinho, lamenta-se da terrível pressão que está vivendo nos bastidores. Sua linguagem é repleta de chavões e os efeitos de sua ação são sempre a favor do sistema.

Falam como militantes e vivem como burgueses acomodados, ou na cômoda posição de juízes de quem luta.

O verdadeiro MILITANTE ? É um servidor, disposto a dar a cara para bater para que todos tenham dignidade e salário justo. Não se sente humilhado por não estar no poder, ou orgulhoso ao estar. Ele não se confunde com a função que ocupa. Reconhece-se sempre "humus" ? humilde.

Seja rigoroso na ética da militância.

A esquerda age por princípios. A direita, por interesses.
Prefira o risco de errar lutando por aquilo que lhe é de direito, a ter a pretensão de conseguir com o sangue dos outros.

*Texto de Frei Betto com adendos de Frei Gilvander

A esquerda age por princípios. A direita, por interesses. Um militante de esquerda pode perder tudo - a liberdade, o emprego, a vida. Menos a moral. Ao desmoralizar-se, desmoraliza a causa que defende e encarna. Presta um inestimável serviço à direita.

Há pelegos disfarçados de militante de esquerda. É o sujeito que se engaja visando, em primeiro lugar, sua ascensão ao poder. Em nome de uma causa coletiva, busca primeiro seu interesse pessoal.

O verdadeiro militante - como Jesus,  - é um servidor, disposto a dar a própria vida para que outros tenham vida. Não se sente humilhado por não estar no poder, ou orgulhoso ao estar. Ele não se confunde com a função que ocupa.  (o verdadeiro sentido da pascoa)



sexta-feira, 18 de abril de 2014

Grevistas Fundação CASA fazem protesto em diversas rodovias no estado

Funcionários Fundação CASA fazem protesto na rodovia Padre Manoel da Nóbrega em São Vicente  (18/04)
Protesto de funcionários da Fundação Casa (Foto: Reprodução/ TV Tribuna)
                                     (Click na foto para ver matéria completa)

Os funcionários da Fundação Casa da região fizeram um protesto na manhã desta sexta-feira (18) e fecharam parte da Rodovia Padre Manoel da Móbrega, em São Vicente, no litoral de São Paulo.
A concentração se iniciou na porta da Fundação Casa em São Vicente, no bairro Humaitá.(ver mais...)

SP- 245 é interditada em Cerqueira César por agentes da Fundação Casa (17/04)
Funcionários interditaram a SP-245 por cerca de uma hora (Foto: Arquivo Pessoal / Fabricio Panchone)
(click na foto e siga o link da repotagem Completa)
Durante aproximadamente uma hora, a rodovia Salim Antonio Curiati (SP- 245), em Cerqueira César (SP), ficou interditada para o tráfego devido a um protesto de funcionários da unidade da Fundação Casa do município. Eles se manifestaram contra a proposta do governo do estado para a categoria. Os trabalhadores estão em greve desde o último dia 10.

O diretor regional da Fundação Casa, Celso Roberto Quintiliano, acompanhou o protesto. Ele afirmou que a classe não está cumprindo com a liminar da Justiça que obriga 70% da categoria a continuar trabalhando. (veja mais...)





Funcionários da Fundação Casa fazem protesto e interditam rodovia CASTELO BRANCO (17/04)


          click na foto e veja a matéria completa

grevistas bloqueiam a rodovia Castello Branco (SP-280), em Iaras (SP), por aproximadamente 30 minutos. Com faixas e cartazes, eles se mostraram contrários à contraproposta do governo em relação ao pedido de reajuste salarial para a categoria.

Na SP-280, a fila de carros chegou a quatro quilômetros de lentidão, ultrapassando o pedágio. Os usuários da rodovia ficaram curiosos e desceram dos veículos para ver a movimentação. A concessionária que administra o trecho e a polícia acompanharam o protesto. De acordo com a Polícia Rodoviária, toda a manifestação foi pacífica. Nos dois movimentos, aproximadamente 60 agentes participaram das ações.(veja mais...)


Em greve, funcionários da Fundação Casa fecham rodovia em Piracicaba (14/04)
Funcionários da Fundação Casa de Piracicaba em greve param rodovia (Foto: VC no G1)
(click na foto e veja a repóratagem completa)

Funcionários da unidade da Fundação Casa em Piracicaba (SP) pararam a Rodovia Deputado Laércio Corte (SP-147), que liga a cidade a Limeira (SP), na manhã desta segunda-feira (14) (Veja mais...)

Protesto provoca congestionamento na Castelinho


Os funcionários em greve da Fundação Casa de Sorocaba protestaram na rodovia Senador José Ermírio de Moraes (Castelinho), causando três quilômetros de congestionamento
Cerca de 30 pessoas participaram da manifestação, que se iniciou às 8h30 e foi encerrada às 9h15. No primeiro momento, os manifestantes bloquearam as duas pistas sentido capital da Castelinho, na altura do quilômetro 9,7. Isso fez com que uma fila de carros se estendesse até o km 6,7, segundo a Polícia Rodoviária.(veja mais...)

Trabalhadores da Fundação Casa bloqueiam Dutra por reajuste salarial (12/04)
Protesto Fundação Casa Jacareí (Foto: Wanderson Borges/ TV Vanguarda)

    Manifestação dos agentes Socioeducativos de Jacareí é a segunda na região.
Trânsito ficou interditado por cerca de 40 minutos na pista sentido Rio.

Agentes socioeducativos das unidades da Fundação Casa da região paralisaram o trânsito na rodovia Presidente Dutra por 40 minutos na manhã deste sábado na altura do km 172 na pista sentido Rio de Janeiro, em Jacareí (veja mais...)

Funcionários da Fundação Casa bloqueiam rodovia Raposo Tavares (11/04)






a manifestação de funcionários da Fundação Casa interditou na tarde desta sexta-feira a pista sentido São Paulo da rodovia Raposo Tavares, já na capital paulista. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), às 13h50 eram registrados 3 quilômetros de congestionamento a partir do quilômetro 20.
De acordo com a Polícia Militar, o grupo tem cerca de 80 manifestantes e interdita a via desde 12h10.
 (veja mais...)

Protesto de agentes da Fundação Casa em greve bloqueia a Tamoios (11/04)
Protesto de agentes da Fundação Casa em greve bloqueia a Tamoios (Foto: Reprodução/ TV Vanguarda)
                                                  (click na imagem e veja a matéria completa)

Uma manifestação de agentes socioeducativos da Fundação Casa bloqueou a pista sentido litoral da Rodovia dos Tamoios por cerca de 20 minutos na manhã desta sexta-feira (11) em São José dos Campos. O protesto aconteceu na altura do km 12 e, segundo a Polícia Rodoviária Estadual, gerou cerca de cinco quilômetros de congestionamento.(veja mais ...)

Protestos também em :
Itapetininga